Acordar às 5 da manhã pode ser o segredo para o sucesso e produtividade

early-wake-up

Você já parou para pensar o quão poderoso pode ser o intervalo das 5 às 8 da manhã?

O que você está fazendo nesse período? Provavelmente dormindo. Poucas pessoas possuem o hábito de acordar às 5:00 da manhã por livre e espontânea vontade, mas saiba que é exatamente nesse horário que as pessoas mais bem sucedidas do mundo levantam. Pessoas como Tim Cook (CEO da Apple), Richard Branson (da Virgin), Robert Iger (da Disney) e Howard Schultz (do Starbucks).

Sabemos que não é convidativo, e muito menos fácil, acordar tão cedo. Mas os benefícios são muitos, e se colocarmos na balança e analisarmos o resultado,  é unanime: acortar às 5 da manhã pode ser a melhor prática a se adotar.

Quando você acorda cedo a sensação de estar atrasado é mínima. O dia começa mais desacelerado. Você pode aproveitar as primeiras horas da manhã para fazer atividades físicas, iniciar ou terminar algum projeto pessoal antes ir para o trabalho, e até quem sabe finalizar alguma atividade da faculdade ou pós.

Quando todo mundo estiver levantado para o trabalho você já estará preparado(a) para as próximas atividades, o que te dará uma vantagem grande.

Pare para pensar na sua rotina matinal. Você acordar sempre atrasado(a)? Não tem tempo para fazer o desjejum com calma ou para praticar exercícios físicos? Essa é a realidade da maioria de nós! É muito comum não sermos produtivos logo de manhã por causa do horário que levantamos. Acordar às 5 da manhã pode ser uma boa chance para você colocar algumas prioridades em ação.

Se você conseguir dedicar as primeiras horas do dia para seu crescimento pessoal, sua produtividade dará um salto enorme! Desligue o celular, não entre em redes sociais e não ligue a TV. Reserve esse tempo para fazer coisas que te dão prazer.

Um estudo publicado na NCBI – National Center for Biotechnology Information – mostrou que pessoas com hábitos noturnos são três vezes mais propensas a ter depressão comparadas àquelas com hábitos diurnos. De acordo com a pesquisa quem dorme e acorda tarde tende a ter mais pensamentos negativos e preocupações. Segundo esse estudo isso gera uma baixa na auto confiança e a pessoa vai dormir sem a sensação de dever comprido, sem o sentimento de satisfação, o que abala a sensação de felicidade.

Os estudos mostraram que quem acorda cedo consegue potencializar seu desempenho ao longo dia, o que gera mais satisfação na hora de dormir, mais motivação para fazer o mesmo no dia seguinte e mais felicidade de modo geral.

Richard Branson, o fundador do grupo Virgin e um dos maiores empresários do mundo disse: “Nós não acordamos às 5am porque temos muito trabalho para fazer, ou porque queremos falar para as pessoas quão ‘hard-working’ nós somos (…) é sobre fazer tudo dando o seu máximo para o seu negócio ser bem sucedido; e se isso significa que você tem que acordar num horário incomum para a maioria, então é provável que você comece a gostar do nascer do sol”.

 Acordar cedo é a ter vontade de viver e aproveitar ao máximo do seu dia.  

Acordar às 5 da manhã não é exagero ou tipo de radicalismo, é apenas uma nova maneira de encarar sua rotina. Significa aproveitar melhor as horas do seu dia para crescer no trabalho, nos estudos, nos projetos pessoais, e principalmente, crescer internamente.

Por isso, é uma boa ideia pelo menos tentar acordar mais cedo todos os dias.

Sabemos que as rotinas e as realidades são diferentes. Nem sempre é possível acordar tão cedo, seja por causa do trabalho ou estudos, que vão até tarde da noite o que torna tudo ainda mais estressante. Não faz sentido nenhum ir dormir à 01:00 e esperar acordar mais cedo.

Portanto avalie a sua vida e rotina antes de encarar o desafio! E se a ideia despertou seu interesse baixe o App Five Club, ele pode te ajudar a colocar essa meta em prática.

 

Fontes: Tudo pela Arte e Zamparoni

 

5 Palestras inspiradoras do TED para você assistir hoje!

headline

Fundada em 1984, a fundação sem fins lucrativos TED realiza conferências ao redor do mundo com o objetivo de difundir ideias e descobertas sobre tecnologia, entretenimento, design, sustentabilidade e estilo de vida. Dedicada à difusão de ideias, geralmente palestras curtas e poderosas a fundação TED hoje abrange quase todos os temas – da ciência, empresa e questões globais – em mais de 100 línguas partilhando ideias em comunidades ao redor do mundo. E como a ideia principal do TED é disseminar boas ideias, separamos 10 palestras que nos enche de inspiração para compartilhar com vocês também. Esperamos que vocês gostem!

1- Brené Brown: O poder da vulnerabilidade

Brené Brown, professora da Universidade de Huston, nos EUA, estuda há 10 anos temas como coragem, autenticidade, vergonha e empatia. Em sua palestra a pesquisadora fala sobre sua trajetória e sobre a importância de aceitar a própria vulnerabilidade e como isso pode trazer grande benefícios.

2- Angela Lee Duckworth: A chave para o sucesso? Determinação

Angela Lee Duckworth abandonou sua carreira muito bem-sucedida em consultoria e optou por um emprego de professora de matemática para alunos da sétima série de uma escola pública de Nova York. Ela rapidamente percebeu que o QI não foi a única coisa que separou os alunos de serem bem sucedidos. Nessa palestra ela explica sua teoria da “grit”.Quanto maior a determinação, mais bem-sucedido você será. A chave para o sucesso é encontrar a sua verdadeira paixão e propósito na vida, assim, você realmente irá se dedicar.


3- David Marquet: Como grandes líderes servem aos outros. 

Já ouviu falar que um líder não é aquela pessoa que apenas dá ordens, mas sim aquele que motiva sua equipe?
Quando um líder abre mão do controle, há um maior espaço para que os integrantes de sua equipe sejam inovadores e engajados. Essa é a proposta de David Marquet. Para ele, tornar-se mais poderoso significa deixar de lado a ideia de que você já sabe de tudo e dar oportunidade para aprender e crescer com os outros.

4- Elizabeth Gilbert: Alimentando a criatividade

Elizabeth Gilbert, autora do best-seller “Comer, Rezar, Amar”,  reflete nessa palestra sobre as coisas impossíveis que esperamos dos artistas e gênios – e divide conosco a ideia radical de que, em vez dessas pessoas raras “serem” gênios, todos nós deveriamos “ter” um gênio. É um relato muito pessoal, bem humorado e surprendentemente emocionante.

5- Dan Gilbert – Por que somos felizes?

Já parou para pensar no que te faz feliz? Dan Gilbert, autor de “Stumbling on Happiness” (Tropeçando na Felicidade), contesta a ideia de que seremos infelizes se não tivermos o que queremos. O que acontece quando não conquistamos algo que queríamos muito, ou perdemos aquilo que  lutamos conquistar? É possível ser feliz mesmo quando nada parece estar dando certo? Para mais respostas dê play no vídeo abaixo.

 

 

Você também pode gostar:

– 7 métodos comprovados pela ciência para você ser mais feliz. 

– Passei Direto, a rede social que vai facilitar sua vida de universitário.

– 9 Lições que aprendemos com os filmes de animação. 

Filmes com ótimas lições de inteligência emocional

the-top-5-movies-destined-to-flop-in-2016-835409

A arte imita a vida

São Paulo – As emoções, via de regra, são personagens principais no cinema. Afinal, como escrevem os autores do livro “Inteligência Emocional 2.0” (Editora HSM), Travis Bradberry e Jean Greaves, a arte imita a vida e “, os filmes são uma ótima maneira de ver as habilidades de inteligência emocional em ação, demonstrando comportamentos que você pode querer imitar ou evitar.

Observar relações e conflitos e analisar as emoções é uma das dicas dos autores para quem quer melhorar seu nível de inteligência emocional no trabalho e também na vida pessoal. “Pode ser difícil de acreditar, mas ver filmes de ficção pode ser uma das maneiras mais proveitosas e divertidas de praticar habilidades de conscientização social que você pode aplicar no mundo real”, escrevem os autores.

A seguir, confira filmes indicados pelos autores do livro e pelos especialistas Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos, e Vera Martins, consultora em desenvolvimento humano.

O Discurso do Rei

A história do rei Jorge VI que, para superar a gagueira, contrata um fonoaudiólogo, mostra como o conhecimento das nossas emoções pode ser essencial na hora de controlar um problema.

Na opinião de Rubens Pimentel, a história revela como a inteligência emocional permite à pessoa se aceitar e, com isso, vencer barreiras.
“Um excelente exemplo de como perder o medo de falar em público através do autoconhecimento, controle das emoções e treino de visualização mental. Todos componentes do que chamamos hoje de inteligência emocional”, diz Pimentel.

O Discurso do Rei
Direção: Tom Hooper
Ano: 2010
País: Estados Unidos

Gandhi

Gandhi e sua trajetória trazem importantes exemplos de inteligência emocional que podem ser aplicáveis no trabalho e nos relacionamentos. Para lidar com o descontrole emocional do outro nada como lidar com inteligência emocional, diz a consultora em desenvolvimento humano, Vera Martins.

Ele conseguiu promover mudanças em toda uma nação com um único pensamento, diz Vera: “mostrar coragem e se dispor a sofrer vários golpes, mas não revidar e nem desistir, pois essa atitude desperta algo na natureza humana que faz o ódio do outro diminuir, e o respeito, por nós aumentar”.

“O agir com essa coerência e foco exigiu de Gandhi o firme propósito de buscar a justiça, libertando seu país da submissão e desigualdade humana”, diz Vera.

Mas, o filme também mostra que, mesmo imbuídos de um propósito maior, justo e ético, somos seres humanos e podemos errar e sermos tomados por emoções negativas, como medo e raiva.

A fragilidade humana é revelada em uma cena em que Gandhi tem uma crise de raiva com sua esposa e depois se arrepende, pedindo desculpas. “Sua esposa consegue sentir empatia por ele, entendendo sua reação e diz: você é apenas humano. E é mais difícil ainda para aqueles que nem querem ser bons como você”, diz Vera.

Ela destaca algumas lições que gestores podem aprender com a trajetória de Gandhi: humildade para aprender com o outro, empatia, firmeza e foco para ser movido por propósito ancorado em valores e princípios éticos

Gandhi
Direção: Richard Attenborough
Ano:1982
País: Estados Unidos/India/Reino Unido

Erin Brockovich – Uma Mulher De Talento

O filme biográfico conta a história da luta jurídica de Erin Brockovich contra a empresa de energia Pacific Gas and Electric e mostra como a inteligência emocional a serviço do outro pode trazer excelentes resultados. Segundo os autores do livro “Inteligência Emocional 2.0”, Travis Bradberry e Jean Greaves, é importante perceber a falta de autogerenciamento emocional dos personagens no começo filme.

Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos, também aponta para o fato de que a personagem principal não tinha capacidade de empatia no começo do filme. “As dificuldades dos outros e o senso de justiça dela traz à tona todo um conjunto de competências emocionais que determinam seu sucesso profissional”, diz Pimentel.

Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento
Direção: Steven Soderbergh
Ano: 2000
País: Estados Unidos

À procura de Eric

O ditado “se quer entender a organização mental de alguém, veja como é a organização da casa” é válido para Eric, o personagem principal do filme, segundo a consultora em desenvolvimento humano, Vera Martins.

“Ele se sente atordoado e sem foco, perdendo o controle da casa, da família, de suas emoções e de sua vida afetiva. Não consegue reagir, tornando-se triste, desanimado, irritado, e sua comunicação se apresenta ora passiva, ora agressiva”, diz a especialista.

Com a ajuda do pseudo amigo e ídolo Eric Cantona, ex-futebolista, que faz um papel de coach ilusório, ele consegue criar pensamentos positivos, aprende a dizer não, e assim, ele consegue enfrentar suas dificuldades e pensamentos negativos. Aceitar o apoio dos amigos, diz a especialista, foi fundamental para a mudança positiva na vida do personagem.

“O filme nos mostra que autoconhecimento, autoconsciência e auto aceitação são premissas básicas para a educação emocional, para as pessoas se sentirem livres emocionalmente e viverem a inteligência emocional na sua plenitude, caso contrário essas pessoas continuarão infantilizadas”, diz Vera.

À Procura de Eric
Direção: Ken Loach
Ano:2009
País: Reino Unido

Avatar

O filme conta a história de Jake Sully que é selecionado para participar do programa Avatar e viaja a Pandora, uma lua extraterrestre que tem formas diversas de vida.

Segundo Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos, são dois mundos em choque. Um deles é carregado de inteligência emocional e o outro, dos forasteiros,  revela como a falta de empatia e de capacidade de comunicação barravam o funcionamento da inteligência emocional em prol dos resultados.

“Ao assistir este filme perceba que a inteligência emocional pode juntar seres de mundos completamente estranhos. Por isso, existem pessoas que se adaptam a novos ambientes e outras não”, diz Pimentel.

Avatar
Direção: James Cameron
Ano: 2009
País: Estados Unidos

300

A história gira em torno do Rei Leônidas que lidera 300 espartanos na batalha contra o deus e rei Xerxes da Pérsia e seu exército de 300 mil soldados.

“O destaque deste filme é a cena em que o rei conversa com Elfialtes, que é um espartano deficiente físico, que quer lutar, mas sua condição o impede que participe de batalhas. A forma como o rei conduz a conversa é um bom exemplo de inteligência emocional aplicada a feedback”, diz Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos

300
Direção: Zack Snyder
Ano: 2007
País: Estados Unidos

A vida é bela

“Nas piores condições possíveis um pai judeu, preso em um campo de concentração com seu filho, usa a inteligência emocional para conseguir se controlar e salvar a vida do filho”, diz Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinanemtos.

O filme é um exemplo, diz o especialista, de que de que ter inteligência emocional não é suprimir emoções, controlar emoções, mas, sim, saber o que fazer e como atuar quando elas aparecem. “É uma lição de como a inteligência emocional pode nos ajudar a utilizar o conhecimento do outro para controlar situações, inclusive, de perigo”, diz Pimentel.

A Vida é bela
Direção: Roberto Benigni
Ano:1997
País: Itália

Duas vidas

Sucesso profissional, mas uma vida emocional fracassada. No filme, é possível perceber como o autoconhecimento é essencial para que a inteligência emocional permita uma vida plena, segundo Rubens Pimentel, sócio da Ynner Treinamentos.

“Somente depois de re-significar toda sua vida é que o personagem principal deste filme consegue ter plenitude emocional”, diz o especialista.

Duas Vidas
Direção: Jon Turteltaub
Ano: 2000
País: Estados Unidos

Confira o restante da lista clicando aqui!

Como planejar o primeiro negócio?

large_shutterstock_163229387
Como fazer o planejamento do meu primeiro negócio?
Escrito por David Kallás, especialista em empreendedorismo

Uma das dúvidas mais frequentes de empreendedores de primeira viagem é se vale ou não a pena investir tempo em um processo de planejamento estratégico. Afinal de contas, como planejar sem uma base histórica de dados? Por que planejar, se o mundo é imprevisível e o contexto do negócio muda a cada momento? E se aparecer alguma oportunidade que possa colocar o negócio de ponta-cabeça? Ainda assim vale a pena fazer um planejamento?

A resposta é: sim. Porém, é importante que o empreendedor tenha uma consciência diferente da tradicional ao lidar com o planejamento. Primeiro, não se deve acreditar que exista uma bola de cristal, por mais sofisticado o método estatístico de previsão de demanda ou por mais elaborado o estudo setorial que se tenha em mãos.

Segundo, deve-se estar atento que o processo de planejamento é tão ou mais importante que o documento gerado por ele. Muitas vezes, a peça final (o plano) não contém a riqueza das análises e discussões geradas durante o processo. Fazer um planejamento estratégico traz um aprendizado valioso ao empreendedor, seja sobre o mercado que atua, sobre a empresa ou sobre si mesmo.

Dito isso, quais os passos de um planejamento? Tudo começa pelos fundamentos estratégicos: a clara definição do negócio (missão), propósito, visão de futuro e valores. Em seguida, é necessário avaliar o contexto externo, identificando tendências políticas, econômicas, sociais, tecnológicas e em outras dimensões que podem ser oportunidades ou ameaças para a empresa.

Ainda no contexto externo, deve-se também analisar as condições setoriais que representam os maiores desafios, como poder de fornecedores e clientes, ameaças de novos entrantes, substitutos e a concorrência.

Em seguida, o olhar deve ser direcionado para dentro, analisando os pontos fortes e fracos da empresa, seus processos, recursos e o próprio modelo de negócio. Após essa fase de análise, chega a hora de escolher a estratégia, por meio da escolha e priorização das principais ações a serem tomadas nos próximos meses ou anos.

Essas ações devem ser derivadas da combinação de pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças (a famosa análise SWOT). Esse é o momento crucial, pois normalmente é aqui que as empresas costumam se propor a realizar mais do que realmente conseguem. É o momento da escolha em si, deixando para trás (ou para depois) alguns projetos importantes.

Finalmente, as ações devem ser muito bem definidas e devem ser escolhidos os poucos e vitais indicadores de desempenho que servirão para medir os resultados e fazer ajustes, caso necessário.

A principal dica prática para o empreendedor é: mantenha a simplicidade. O plano deve ser resumido, direto e objetivo. Uma vez pronto, ele deve servir como uma referência para a jornada. Use-o para comparar o planejado com a realidade, para aprender e mudar o curso das ações se assim for necessário. Parafraseando a famosa frase “it is the trail, not the rail”, vale a pena dizer que “é a trilha, e não o trilho”.

David Kallás é professor de empreendedorismo dos cursos Certificates do Insper.

fonte: exame

Você sabe quais são as características que o mercado de trabalho mais valoriza em um profissional? Descubra!

profissional

O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo, deixando bem claro que manter um emprego, ou encontrar um, em uma empresa não requer apenas um currículo bem estruturado e interessante. É preciso cultivar certas características indispensáveis e valorizadas pela maioria das companhias e instituições espalhadas pelo país.

Tornar-se um profissional precioso leva tempo, muito aprendizado e desenvolvimento pessoal. Mas o melhor mesmo é dedicar-se o quanto antes em aprimorar certas características que serão muito benéficas na sua trajetória profissional.

Veja algumas delas:

1- Flexibilidade de adaptação

Por motivos de competitividade do mercado você precisa mais diferencias em relação aos seus concorrentes, deixando bem claro os motivos de você ser indispensável para a companhia. Portanto, não pense fechado. Busque envolver-se em projetos diferentes dos quais está acostumado, e esteja sempre disponível e interessado em aprender e desenvolver novas habilidades. Mostrar interesse e flexibilidade na hora de fazer tarefas e desenvolver projetos é uma boa iniciativa.

2- Seja empreendedor

Empreender significa criar novas soluções, enxergar além do cotidiano, solucionar problemas com habilidade e criatividade. E você não precisa criar, necessariamente, a sua própria empresa para ser um empreendedor. Você pode ser um intraempreendedor, o que significa que pode empreender dentro da empresa onde trabalha. Experimente ir além, respeitando seus superiores e normas internas, mas não se acomode.

3- Valorize seus colegas de trabalho 

É muito importante que você veja os pontos positivos dos seus colegas e aprenda a valoriza-los. Essa é uma boa maneira de facilitar o trabalho em equipe e a convivência. Aumentando a produtividade da equipe e promovendo relacionamentos duradouros.

4- Preste atenção nos outros

Passe a observar a forma como as pessoas se portam profissionalmente, bem como qual a imagem que você passa por meio da sua postura. Você poderá identificar, por exemplo, quando um colega estiver tenso ou animado com determinado projeto.

5- Seja educado e tenha uma postura agradável com a sua equipe 

É muito importante você expor suas opiniões, visando a melhoria no processo de criação, produção e oferecimento dos serviços oferecidos pela empresa que você trabalha. No entanto, é importante ficar atento como você expões suas opinões. Faça de uma maneira educada. Tenha uma postura aberta para escutar críticas ou complementações das suas ideias. Dessa forma todos crescem a avançam. Seus companheiros se sentem valorizados por você, e em contrapartida você aprende mais sobre o mercado de trabalho.

6- Faça mais perguntas

Não tenha receio de fazer perguntas. Os questionamentos tendem a mostrar interesse do funcionário por entender melhor a empresa em que trabalha e por tentar sempre progredir.  Além de compreender sobre o negócio em que está empregado, você será visto como alguém interessado em aprender e crescer dentro da empresa.

7- Mantenha contato visual

O contato visual é um grande diferencial. Sempre que estiver conversando com um colega de equipe, esforce-se para manter o olhar para a pessoa, porque essa atitude tende a aumentar a confiança que depositam em você.

8– Preste atenção nos detalhes

Quanto maior a quantidade de detalhes que você observar, maiores as chances de ter um bom desempenho na empresa. Busque entender as pessoas que trabalham com você e suas características. Busque entender os processos e assim encontrar soluções inovadoras.

 

Você também pode gostar:

– 5 leituras para melhorar seu desempenho profissional 

– Habilidades que os melhores profissionais do mercado possuem

– Tenha um plano de carreira e seja mais feliz!

 

Características fundamentais para você ter sucesso em um curso de EAD

shutterstock_164634131

Fazer um curso que não exige presence diária na sala de aula e é você quem decide como, onde e quanto estudar parece fácil. Mas não é! Essa é a principal “surpresa” que os alunos costumam encontrar ao decidir cursar uma graduação a distância. Estudar sozinho em frente ao computador, sem um professor dando a matéria e sem a companhia dos colegas de turma, e ainda respeitar a carga horária das disciplinas, pesquisar na internet, assistir a vídeos, fazer as tarefas, participar de chats e fóruns não é pouca coisa. E se a instituição de ensino for boa, é preciso estudar até mais do que num curso presencial!

Assim, não é qualquer um que consegue ter sucesso e concluir uma graduação por EAD. Para se dar bem, é preciso ter algumas características pessoais. Acompanhe a seguir as principais.

Disciplina
É a primeira condição para seguir um curso de EAD. Conseguir dedicar-se aos estudos com seriedade e regularidade é essencial. “O aluno deve respeitar horários fxos para estudar e fazer as atividades. Caso contrário, ele corre o risco de não conseguir acompanhar o curso e nem tirar boas notas nas avaliações”, alerta Carlos Longo, diretor da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed). Por isso, é importante fcar longe de distrações como internet e programas de TV. Não pode perder o foco nem a concentração.

Organização
Outra característica importante é a organização. “O estudante tem que fazer um planejamento, criar uma rotina de estudos, estabelecer metas diárias, priorizar as tarefas mais urgentes e organizar o material a ser estudado”, aconselha Longo. Todo curso em EAD tem uma programação e um cronograma para a entrega de trabalhos e provas presenciais. Uma dica é ter uma agenda exclusiva para isso. Vale lembrar que, além das atividades virtuais, há também as aulas nos polos de apoio. É preciso conciliar tudo.

Motivação e proatividade
O próprio aluno deve se motivar para estudar. Isso signifca se sentir estimulado a dominar o conteúdo do curso. E isso só depende dele mesmo na modalidade a distância – diferente do presencial, em que o estudante é mais passivo, pois o professor está lá à disposição dele durante as aulas. Para Longo, a automotivação e a proatividade andam juntas. São pontos importantes: ter iniciativa para mergulhar a fundo nos assuntos das aulas, pesquisar fontes complementares, participar de fóruns e chats. Para que tudo isso dê certo, tem de ter também persistência.

Curiosidade e autonomia
Mais duas características fortes para um perfl de aluno EAD. “O estudante precisa ser investigativo. Sempre ter o desafo de correr atrás de conhecimento, pesquisar muito em diversas fontes, rever as videoaulas, ler e reler o material, formular suas perguntas e buscar respostas com professores, tutores e colegas de turma”, afrma Longo. Se as dúvidas se acumularem, o aluno terá difculdade de acompanhar os tópicos seguintes das aulas, pois geralmente eles obedecem a uma sequência.

Familiaridade com a tecnologia
O estudante de EAD precisa conhecer o universo virtual e saber navegar com facilidade em sites e portais. Também é necessário ter acesso à tecnologia: um computador com boa capacidade de memória, acesso à internet por banda larga, webcam e aplicativos confáveis. Na hora de escolher a instituição de ensino, é importante verifcar se o aparelho é compatível com a plataforma utilizada no curso. E, é claro, também é fundamental ter familiaridade com todas as ferramentas tecnológicas que serão utilizadas ao longo da graduação.

Texto via Guia do Estudante

No curso a distância, interagir é a chave para o sucesso.

alunos ead

Imagine uma sala de aula com muitos alunos, alguns que moram bem longe de você, em outro estado e até, quem sabe, em outro país. Vocês não precisam se encontrar todos os dias, no mesmo horário e em uma sala física. Na verdade, tudo acontece pela tela de um computador. Essa é a realidade de quem estuda pelo EAD.

Através do de um ambiente virtual você tem acesso aos seus colegas e professores. E não se engane, mesmo que seu curso não seja presencial, ainda é muito importante que você interaja nas suas aulas.

Pesquisas revelam que os estudantes de EAD apreciam a velha e boa comunicação interpessoal. De certa forma, eles tem razão! Conversar com os colegas sobre as matérias, tirar dúvidas com os professores e ouvir opiniões construtivas, é fundamental para o processo de aprendizagem. Essa interação que já conhecemos tão bem no formato presencial costuma ser diferentes pelo EAD.

Um curso a distância não é feito só de tecnologia (apesar de ser base e um componente importante). A interação entre tutores, alunos e professores é um dos motivos principais para você se manter motivado no decorrer do curso. Portanto use os fóruns de discussão para conhecer seus colegas, expor sua opinião, ler outras opiniões e fazer networking.

Não tenha receio de perguntar e participar! No processo do EAD interagir é fundamental para o rendimento geral da turma. Aproveite os encontros presencias para conhecer melhor seus colegas, e não esqueça de levar essa interação também para o ambiente virtual.

LEIA TAMBÉM

– 8 razões para você fazer um curso a distância

– Dicas para você se dar bem nos estudos online 

– O próximo passo: Saiba como escolher a pós-graduação ideal para a sua carreira 

 

UNASP VIRTUAL: O Sucesso Chegou Até Você

UNASP VIRTUAL

Você já ouviu falar em Educação a Distância? Sabe como funciona esse processo inovador de educação. Não? Então essa é a sua chance de dar uma guinada na carreira, aprender coisas novas e tornar-se um profissional desejado no mercado de trabalho! Assista o vídeo abaixo e descubra mais sobre o UNASP Virtual, e o que podemos fazer para te auxiliar na conquista dos seus sonhos 😀

Estamos te esperando! Acesse nosso site e faça já a sua inscrição.

Qual é a diferença entre uma pós-graduação lato sensu e stricto sensu?

Na hora de escolher um curso de pós-graduação algumas dúvidas podem surgir. Por exemplo: Qual é a diferença entre uma pós lato sensu de uma stricto sensu?

É muito simples.

Lato Sensu significa “em sentido amplo” e compreende os cursos de pós-graduação voltados para alguma especialização. Isso significa que você só poderá cursar uma pós lato sensu após a conclusão de alguma graduação, independente da área. Normalmente quem escolhe esse tipo de pós é o profissional que já está no mercado de trabalho e que busca aperfeiçoar seus conhecimentos. De acordo com o MEC a pós em lato sensu são programas de especialização e incluem os cursos designados como MBA. E ao final do curso o aluno recebe um certificado.

Já a pós em Stricto Sensu significa “em sentido limitado” e abrange os cursos de mestrado e doutorado. Assim como na Lato Sensu, é obrigatório que você tenha concluído um curso de graduação. Normalmente, os alunos que optam por fazer um mestrado e um doutorado, são aqueles que desejam seguir uma carreira acadêmica, seja dando aulas, atuando em pesquisas ou projetos. E ao final do curso o aluno recebe um diploma.

O UNASP Campus Virtual oferece cursos de pós graduação a distância em diversas áreas. Através dos nossos cursos você estudará em um ambiente virtual com ferramentas projetadas para maximizar a colaboração e a construção do conhecimento. Tudo isso com a facilidade de estudar pela internet, de qualquer lugar do Brasil. Venha conhecer nossos cursos e propostas. Estamos esperando por você!

Nova plataforma de acesso online do Unasp Campus Virtual

6_Moodlerooms_tcm21-508

O Unasp está sempre buscando maneiras de aperfeiçoar os cursos e a experiência online, tanto dos alunos a distância quanto dos alunos presenciais. Com o objetivo de aprimorar a qualidade de ensino, a moderna plataforma MoodleRooms foi contratada para ser o novo sistema de acesso online do Campus Virtual, sendo também explorada pelos demais campi, suplementando diversas disciplinas nas áreas de graduação e pós-graduação.

De acordo com o Gerente de Produção do Unasp Campus Virtual, Walter Quiaper, o sistema oferece funcionalidades que os professores já conheciam no antigo Moodle, mas agora possuindo maior capacidade e modernidade. “A ferramenta pode facilitar o trabalho no ambiente virtual com a grande quantidade de relatórios que podemos extrair, como comparativos sobre a eficiência de tipos diferentes de atividades, participações no fórum, alertas para alunos que estão ausentes do ambiente por certa quantidade de dias, relatórios de notas diferenciados e muito mais. Assim podemos gerenciar a interação dos nossos alunos com o ambiente virtual e adaptar para que o aluno tenha a melhor forma possível de aprendizagem”.

O ambiente já foi montado pela equipe do virtual de cada campi, que já importaram o conteúdo do Moodle anterior, dando aos professores a possibilidade de criar o conteúdo de suas disciplinas na maneira que desejarem.

O sistema também possui um visual mais atrativo, além de proporcionar uma interação mais intuitiva aos alunos no que eles realmente gostariam de fazer, como por exemplo: acessar as atividades, notas e contato com os responsáveis. A interação à distância entre alunos e professores através de um sistema de última geração irá colaborar com a qualidade no aprendizado.

Conheça os cursos de pós-graduação e extensão do Unasp Campus Virtual.