Ideias para decorar sua casa com materiais reaproveitados

Já parou para pensar na quantidade de lixo que produzimos sem necessidade alguma? Analisa. Muito daquilo que jogamos fora poderia ser reutilizado de outra maneira menos agressiva em relação ao meio ambiente. Quer ver só? Garimpamos algumas ideias práticas para você deixar sua casa mais bonita, e o mais legal de tudo, reciclando aquilo que ia poluir ainda mais o planeta!

1-) Organizador de talheres feito com latas (aprenda a fazer clicando aqui)

organizador de talheres

2-) Vaso de Gatinho feito com garrafa plástica (aprenda a fazer clicando aqui)

vaso_gatinho

 

3-) Sapateira feita com caixote (aprenda a fazer clicando aqui)

sapateira de caixotes

4-) Mosaico feito de garrafas (aprenda a fazer clicando aqui)

mosaico de garrafa5-) Mesinha feita com pneu 

mesinha de pneu

 

6-) Armário feito com caixotes de madeira (aprenda a fazer clicando aqui)

prateleira

Você pode encontrar muitas ideias no Pinterest, e aproveitar para mudar algumas coisas de lugar e velhos costumes também! Da próxima vez que for jogar algo fora pense duas vezes 😉

Banner rotativo

 

 

UNASP a Favor do Meio Ambiente

environment-1-612x336

O primeiro semestre de 2015 foi marcado por um fato histórico para o Centro Universitário Adventista de São Paulo, com a realização da primeira reunião da Comissão de Monitoramento Ambiental (Comam).

Os objetivos dessa reunião foram em apresentar a Filosofia e Política do Meio Ambiente do UNASP, o contexto atual e os parâmetros de uma instituição responsável ambientalmente, dando início ao Plano Operacional da Comissão.

“A questão ambiental no ponto de vista da nossa instituição, remete uma visão da Igreja Adventista. É importante que compreendamos isso, pois do contrário estaríamos fazendo um movimento cuja a atuação e as realizações poderiam remeter para um caminho ou por uma ideia equivocada a respeito em lidar com as questões de ordem ambiental. Com isso, acredito que seja muito importante embasar-se pela visão filosófica que temos”, diz Euler P. Bahia, Reitor do UNASP.

O Reitor ainda deixa claro que quando Deus criou a terra, a criou perfeita. Não havia conflitos decorrentes de consumo e manejo desordenado, mas “a partir da concepção de que essa perfeição foi quebrada, Deus conferiu aos seres humanos a responsabilidade de serem administradores do planeta”.

O UNASP assume o compromisso em expor para as pessoas, de que pratica uma administração ambiental responsável, e não uma administração egoísta de apenas querer extrair, consumir, gastar e danificar o bem próprio.  A visão que a Bíblia apresenta, mostra que a sobrevivência da vida nesse planeta vai depender de uma gestão correta, equilibrada e inteligência no manejo de todos os serviços. “Outro aspecto que a Bíblia nos apresenta é que, embora o ser humano tenha essa capacidade e responsabilidade de administrar, cabe a ele respeitar a diversidade da vida. Então, não quer dizer que pelo fato do homem ser inteligente e capaz de dominar, que isso signifique meramente exploração e até mesmo um desrespeitar a adversidade da vida”, conclui Euler.

ecoUNASP

banner comprido-eco

Composta por representantes de cada campi, a instituição lançou a campanha do ecoUNASP.

Quanto tempo você gasta no banho? Quanto alimento sobra no seu prato? Você apaga a luz de um ambiente quando necessário? Recicla o lixo? Cuida com carinho do seu animal de estimação? O ecoUNASP é o que fará você lembrar todos os dias a importância de fazer boas escolhas e melhorar o relacionamento com o meio ambiente.

O objetivo é conscientizar o maior número de pessoas possível quanto aos benefícios de manter uma boa relação com o meio ambiente por meio de pequenas ações praticadas no dia a dia.

Por isso o UNASP quer estimular você a mudar de postura, eliminar o desperdício e minimizar o impacto no planeta. Afinal de contas, os recursos naturais que estão a nossa disposição são limitados e temos a responsabilidade de preservá-los.

Filosofia Ambiental do UNASP

A IASD, mantenedora do UNASP, tem como uma das doutrinas fundamentais a crença em Deus como Criador e Mantenedor do Universo. Assim, entende que o planeta Terra é uma obra divina.  Acredita que a Terra foi planejada como a morada do ser humano de forma integrada com todas as demais criaturas vivas. No plano original de Deus, como expresso no relato do Gênesis, a Criação era perfeita, o que implica em uma harmonia entre todas as criaturas. Infelizmente, esse quadro se alterou pela entrada do Pecado, ocorrendo então uma alteração no modo que ocorrem as interações entre os seres vivos. Mesmo assim, a Criação manifesta ainda que de forma imperfeita e limitada uma complexidade que indica sua origem divina. Dentro do plano de Criação da Terra, Deus conferiu ao homem uma posição central, pois é a única criatura descrita como sendo formada a “imagem e semelhança de Deus”. Assim, o homem recebeu uma responsabilidade de ser um administrador da Criação divina.
A forma como o homem tem administrado os recursos disponíveis na Terra tem evidenciado que esse ordenamento foi perdido, de forma que os recursos disponibilizados por Deus para o uso do ser humano, em respeito a Sua Criação não tem ocorrido. A exploração intensa, a destruição de diversos ecossistemas, a produção de inúmeros resíduos agressivos ao ambiente (poluição) são algumas evidências desse desrespeito ao ordenamento divino ao ser humano.  Esses problemas, normalmente, conhecidos como problemas ambientais são consequência de uma interpretação egoísta e mesquinha do ser humano, que tem visto como tendo direitos naturais, em relação a aquilo que ele recebeu como concessão divina. Diante desse quadro é fundamental descrever as implicações do que é esperado do UNASP, como instituição adventista, em relação às questões ditas ambientais.

Em primeiro lugar é esperado o reconhecimento de que o ser humano deve se reconhecer como um humilde servo de Deus.  É necessário relembrar que ao usar os recursos naturais, eles são dons concedidos por Deus para que a vida humana seja desenvolva de forma satisfatória, mas não apenas a de alguns, mas a todos os seres humanos. Considerar a finitude desses recursos e, portanto, cuidar deles para garantir as sobrevivências da vida humana é um imperativo para todo habitante do planeta.

Em segundo lugar é fundamental, que o uso de cada recurso seja planejado de modo a respeitar a diversidade da Criação divina. O fato de o ser humano ocupar um lugar de destaque na Criação, não lhe dá o direito de não reconhecer os outros seres vivos como criaturas divinas. Assim, no lidar com as demais criaturas não é aceitável desconsiderar a sensibilidade à dor e usá-los de forma absolutamente egoística. É necessário ter em mente a teia complexa de relações da vida para que se possa agir de forma responsável.

Em terceiro lugar é indispensável prever no uso dos recursos naturais os problemas dos resíduos produzidos. Dentro da própria natureza da Criação, em várias atividades da vida há produção de resíduos. Esse tipo de situação também pode ser observado em atividades de manufaturas feitas pelos seres humanos. Assim, é fundamental, que sejam planejados o tratamento adequados desses resíduos de forma a garantir a preservação dos recursos criados por Deus, para que os ciclos de restauração possam se manter e garantir a continuidade da vida criada por Deus. A manutenção de um ambiente “limpo” nos mais diversos sentidos deve ser visto como uma evidência de uma compreensão do funcionamento da Criação.

Em quarto lugar é necessário que exista sempre uma visão de que o ser humano, como parte integrante da Criação, deve também ser visto como parte da questão ambiental, assim, aspectos que se referem à saúde individual e da coletividade, também precisam ser consideradas como parte da questão ambiental. O cuidado do ambiente, envolve o estabelecimento de práticas institucionais de garantia ao bem-estar das pessoas em todas as dimensões.

Em quinto lugar, é imprescindível se compreender que apenas através de um estilo de vida marcado pela simplicidade e mais próximos aos ideais divinos é que se pode conseguir um respeito a Criação divina.  O reconhecimento de que a maior parte do consumo contemporâneo é insustentável e estimula o egoísmo leva a busca por um ideal de simplicidade e fuga ao artificialismo da sociedade.

Por fim, espera-se que o UNASP tenha sempre em todas as suas decisões acadêmicas e administrativas a visão de que o compromisso ambiental é parte integrante da primeira mensagem angélica, que relembra a origem divina do mundo. Assim, em todas as suas ações essa dimensão precisa ser reconhecida como uma expressão de sua identidade evangélica.

Links que valem o click #33

Para começar a semana de uma maneira mais gostosa, criativa e divertida separamos alguns dos nossos links favoritos para compartilhar com vocês.

1-) Como crianças reagem quando adultos deixam cair suas carteiras

Não é raro nos depararmos com pessoas que perderam a carteira por acidente, inclusive nós provavelmente já passamos por situações em que gostaríamos que alguém honesto nos ajudasse. Infelizmente nem sempre podemos contar com a honestidade das pessoas. E é sobre isso que fala o vídeo abaixo, feito pela Japanese Red Cross Society como parte da campanha Cross Now!, que tem como objetivo aumentar a consciência sobre nossas interações com as outras pessoas. Nas cenas abaixo, um desconhecido deixa sua carteira cair acidentalmente ao lado das crianças – e a reação delas pode restaurar sua fé na humanidade. (via Hypeness)

red5

2-) Um projeto que já alimentou 1,6 milhões de brasileiros!

Já ouvimos diversas vezes que grande parte dos problemas, como fome, miséria, doença e educação poderiam ser minimizados com a melhor distribuição dos recursos do planeta. Falta organização e vontade de colocarmos a mão na massa para buscar soluções inteligentes. Felizmente há projetos como o Banco de Alimentos de Santos, uma nobre iniciativa que busca resgatar em feiras e centrais de abastecimento de Santos (SP) alimentos que, apesar de serem próprios para o consumo, acabam na lixeira e doá-los a moradores em comunidades carentes. Conheça mais do projeto clicando aqui.

banco-alimentos1

3-) Fotógrafa viaja para fotografar as árvores mais velhas do mundo

Donas de uma beleza única, imponentes e notáveis, as árvores africanas são o fascínio da fotógrafa talentosa Beth Moon, que há 14 anos dedica seu trabalho e seu tempo para registrá-las. Na série Diamond Nights (“Noites de Diamante”, em tradução livre), a agradável surpresa de um céu estrelado surge para fazer cenário a estas árvores antigas, formando paisagens espetaculares.

Beth viajou para o continente africano e contou com a ajuda de um guia para encontrar os novos pontos de fotos, marcando-os com pedras, assim poderia retornar à noite para clicar as imagens. Através da técnica de exposição de 30 segundos, capturou as estrelas e as árvores de forma mágica, quase surreal. Nosso relacionamento com a vida selvagem sempre teve um papel importante no meu trabalho. Essa série foi inspirada por dois estudos científicos fascinantes que conectam o crescimento das árvores com o movimento celeste e os ciclos austrais”, escreveu em seu site. Veja mais fotos no site Nômades Digitais, clicando aqui. 

bethmoon

4-) Idosos artistas de rua!

Alguns idosos mostram que velhice não é sinônimo de fraqueza e falta de capacidade. Muitos são ativos, se exercitam, acessam a internet, fazem aula de danças e até participam de projetos destreet art. Pois é, o “Lata 65”, uma organização sem fins lucrativos, em Portugal, realiza oficinas e ensina técnicas de arte de rua para a terceira idade.

Os alunos aprendem sobre a história da arte de rua, fazem seus próprios stencils e cobrem com grafites os muros da capital Lisboa, onde o projeto acontece. Os participantes são acompanhados por artistas e de renome e podem escolher suas próprias marcas. Luísa, uma das integrantes, assina com “Armando” em homenagem ao seu marido falecido.

O grupo espalha  seus trabalhos pelos murais dos bairros, dando mais cor e levando vida aos locais degradados e abandonados da cidade. O objetivo do Lata 65 é eliminar os “clichês” sobre a arte de rua e ampliar os adeptos ao grafitti. Veja mais fotos aqui (via Hypeness)

idoso-01

5-) Escola na Itália dá bônus para alunos que vão de bike para as aulas 

O programa Bike Control partiu do meninoLorenzo Catalli, que há um ano estava terminando seu período na escola de ensino médio Liceu Antonio Meucci e se questionou, nas viagens de carro com seu pai e por entre horas de trânsito, como seria mais simples se todos pudessem dispensar o automóvel. Em conjunto com o pai, Lorenzo criou um dispositivo que se fixa na bike e permite verificar data, horário e distância do percurso realizado, além de calcular a quantidade de emissão de gás carbônico que foi evitada através da ação de trocar o carro pela magrela, ideia com apoio daUniversidad La Sapienza, em Roma. O próprio Lorenzo sempre foi para a escola de carro, antes de ter essa ideia de reverter as pedaladas em notas no sistema de avaliação, entrando dentro de atividades extracurriculares. Os pontos são acumulados somente com o mínimo de frequência de três ou quatro vezes por semana indo de bicicleta para a instituição.

BiciAsprilia2

 

 

Profissões para quem gosta de sustentabilidade

Foi-se o tempo em que sustentabilidade era apenas um tema para discursos vazios e demagógicos.

Nos últimos anos, diz a consultora Juliana Pereira, da Catho, a cobrança por responsabilidade social e ambiental se tornou muito mais concreta – e, no limite, até ameaçadora para o sucesso de uma empresa.

Para atender às exigências de uma sociedade cada vez mais crítica, tem crescido a demanda por profissionais capazes de pesquisar, implementar e atestar práticas sustentáveis.

O leque de carreiras possíveis na área é amplo: vai de biologia a arquitetura, passando por engenharia, logística e até design.

Segundo Juliana, quem sonha em trabalhar na área deve ter, acima de tudo, um perfil empreendedor.

“O profissional precisa enxergar a sustentabilidade como parte de um negócio, isto é, integrar políticas de responsabilidade social e ambiental ao cotidiano das empresas, sem perder de vista o retorno financeiro”, afirma a consultora.

Nesta galeria, você verá 10 profissões indicadas para quem se interessa pela área, segundo especialistas em recrutamento. Clique nas fotos para conhecê-las.

Biólogo

size_810_16_9_tartaruga

O que faz? A missão do biólogo é estudar ecossistemas e seres vivos para gerenciar o impacto do homem sobre a vida dessas espécies e ambientes.

Por que a profissão vale a pena? Segundo Beatriz Pacheco, sócia-fundadora da Plongê, quem opta pela carreira tem a chance de compreender o ritmo e os limites da natureza e sugerir adaptações dos métodos produtivos a eles. Por isso, seu papel é único. “Trata-se de uma profissão essencial para a perpetuação da espécie humana no planeta”, diz ela.

Engenheiro ambiental

environmental-engineer

O que faz? Estuda o impacto ambiental de uma operação, bem como as oportunidades de minimizá-lo. Entre muitas outras funções possíveis estão o planejamento e a administração de estações de tratamento de esgoto, redes de distribuição da água e descarte do lixo.

Por que a profissão vale a pena? De acordo com um estudo da consultoria Kelly Services, a profissão está relativamente em baixa, se comparada a outras engenharias neste ano. Ainda assim, a carreira segue ganhando espaço na iniciativa privada, ao longo dos anos. “Cada vez mais empresas buscam esses profissionais, pois estão sendo forçadas a reduzir a geração de resíduos e o consumo de matérias-primas”, explica Beatriz Pacheco, da Plongê.

Engenheiro químico

Chemical-Engineering

O que faz? O leque profissional do engenheiro químico é bastante vasto. Na área de sustentabilidade, ele pode atuar no desenvolvimento do sistema de tratamento de gases e líquidos, na supervisão da produção de medicamentos ou no planejamento da construção de usina de mineração, por exemplo. De forma resumida, ele pode definir normas e métodos de preservação ambiental na cadeia produtiva de uma empresa.

Por que a profissão vale a pena? De acordo com Juliana Pereira, da Catho, o mercado de trabalho é bastante receptivo a profissionais da área especializados em sustentabilidade. “Há um grande interesse das indústrias em reaproveitar matérias-primas, para obter mais eficiência e, ao mesmo tempo, eliminar a poluição”, explica ela.

Engenheiro agrônomo ou florestal

size_810_16_9_ThinkstockPhotos-97390671

O que faz? Entre outros papéis, o escopo desses profissionais inclui a recuperação de áreas degradadas, a orientação da produção agropecuária e o planejamento da aplicação de recursos naturais de forma sustentável.

Por que a profissão vale a pena? Segundo Beatriz Pacheco, sócia da Plongê, está cada vez mais evidente que o atual modelo econômico global só é viável com base numa exploração sustentável dos recursos naturais. Nesse contexto, é natural que ganhem visibilidade profissionais capazes de recuperar recursos florestais e garantir a sustentabilidade da produção agrária.

LEED AP (LEED Accredited Professional)

size_810_16_9_size_810_16_9_casa_verde

O que faz? Desenvolve projetos de edificações candidatas à certificação ambiental LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). Reconhecido internacionalmente, o documento valida as construções “verdes”.

Por que a profissão vale a pena? Pessoas que já aderiram à carreira são raríssimas: no Brasil, há apenas 128. A escassez de mão de obra, aliada à explosão de empreendimentos com selo LEED no país nos últimos anos, torna o mercado promissor, na opinião de Vanessa Siqueira, do escritório Norte Arquitetura. Outro estímulo para a área, disse ela a EXAME.com, é o incremento de políticas públicas e leis de incentivo fiscal para construções sustentáveis.

Designer de produtos sustentáveis

aluminum-cans-recycle

O que faz? Desenvolve produtos ecoeficientes, isto é, com o mínimo impacto ambiental possível.

Por que a profissão vale a pena? Segundo Beatriz, da Plongé, cada vez mais empresas estão sendo desafiadas as diminuir o seu impacto ambiental, repensando seu uso de matérias-primas e geração de resíduos. Designers de bens cuja produção, distribuição e descarte sejam sustentáveis são essenciais nesse processo.

Coordenador ou gerente de sustentabilidade

size_810_16_9_coordenador-gerente-ambiental

O que faz? É responsável pela gestão e planejamento de atividades corporativas ligadas ao âmbito social e ambiental da empresa. Suas atividades incluem adaptação de sistemas de gestão, auditorias, avaliação de fornecedores, bem como estabelecimento de indicadores e relatórios de sustentabilidade, como o GRI. “Ele garante a responsabilidade da empresa com o ambiente e comunidade no seu entorno”, explica Diego Mariz, gerente executivo da Michael Page.

Por que a profissão vale a pena? Em épocas de crise, as empresas aumentam os investimentos em qualquer atividade ligada a redução de risco da operação. Por isso, diz Mariz, esse profissional segue em alta no Brasil, apesar da desaceleração da economia. Outro fator por trás do aquecimento do mercado são legislações cada vez mais “apertadas” e exigentes quando o assunto é meio ambiente e responsabilidade social.

Gestor da cadeia de fornecedores

size_810_16_9_size_810_16_9_13._m-imagephotography

O que faz?  Garante a adequação da cadeia de fornecedores em temas como condições de trabalho, governança e impacto ambiental.

Por que a profissão vale a pena?  O mapeamento e monitoramento de riscos e oportunidades socioambientais na cadeia se transformou numa questão relevante nos últimos anos, segundo Beatriz Pacheco, da Plongê. “A reputação de uma empresa pode ser muito comprometida por uma prática inadequada de um fornecedor, a exemplo do que aconteceu com várias redes de varejo recentemente”, afirma.

Diretor de negócios sociais

View of executives shaking hands while colleagues smile

O que faz? Lidera negócios especializados em produtos ou serviços que promovam o desenvolvimento sustentável.

Por que a profissão vale a pena? De acordo com Beatriz Pacheco, sócia-diretora da Plongê, muitos empresários e fundos de investimento têm direcionado recursos financeiros para criar soluções inovadoras para os desafios sociais e ambientais. Por essa razão, criar e gerir empresas cuja principal entrega é a sustentabilidade pode ser um caminho com futuro.

Coordenador de investimento social privado

size_810_16_9_casas-cedulas

O que faz? Coordena a aplicação dos recursos de uma empresa em uma questão relevante para a comunidade em que atua.

Por que a profissão vale a pena? Praticar filantropia, pura e simplesmente, tornou-se uma questão ultrapassada para as empresas mais modernas, segundo Beatriz. “Hoje, está em evidência um profissional que ajude a organização a trazer resultados e impactos de fato para a sociedade”, explica ela.

fonte: Exame

Dicas para economizar água

shutterstock_126447635 copiar

É pessoal, a coisa tá feia! Com essa seca um dos assuntos mais comentados é “cadê a chuva?”. Parece que só agora com é que nós começamos a dar o devido valor a esse bem tão precioso. Bem galera, notícia ruim, água acaba, não renova e se não for preservada e utilizada de maneira consciente a situação vai ficar ainda pior.

Que tal aprendermos com os erros e aproveitar esse momento para repensarmos sobre o nosso consumo de água? Com práticas simples você pode reduzir o consumo de água e ainda por cima dar aquela mãozinha para o planeta. Veja algumas das nossas dicas:

1-) No banheiro:

– Cinco minutos são mais que suficientes para higienizar o corpo. Aproveita para fechar o registro na hora de se ensaboar, a economia é ainda maior! Você sabia que uma banho de ducha de 15 minutos consome mais de 243 litros de água? Pois é. Agora, se você seguir as nossas dicas, banho de 5 minutos com registro fechado na hora de se ensaboar, o consumo cai para 81 litros.

– Na hora de escovar os dentes, lavar o rosto ou fazer a barba, feche a torneira. Isso ajuda a reduzir os gastos com água. Só para lavar o rosto com a torneira aberta se vão ralo a baixo 16 litros de água!

– Não use a privada como lixeira ou cinzeiro e nunca acione a descarga à toa, pois ela gasta muita água. Uma bacia sanitária com válvula com o tempo de acionamento de 6 segundos gasta de 10 a 14 litros. Bacias sanitárias de 6 litros por acionamento (fabricadas a partir de 2001) necessitam um tempo de acionamento 50% menor para efetuar a limpeza, neste caso pode-se chegar a volumes de 6 litros por descarga. Quando a válvula está defeituosa, pode chegar a gastar até 30 litros. Mantenha a válvula da descarga sempre regulada e conserte os vazamentos assim que eles forem notados;  

2-) Patrulha na cozinha:

– Ao lavar a louça, primeiro limpe os restos de comida dos pratos e panelas com esponja e sabão e, só aí, abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo que tem que ser lavado e, então, abra a torneira novamente para novo enxágüe. Lavar louça num apartamento, com a torneira meio aberta em 15 minutos, são utilizados 243 litros de água. Com economia o consumo pode chegar a 20 litros;

– Na higienização de frutas e verduras utilize cloro ou água sanitária de uso geral (uma colher de sopa para um litro de água, por 15 minutos). Depois, coloque duas colheres de sopa de vinagre em um litro de água e deixe por mais 10 minutos, economizando o máximo de água possível.

3-) Na área de serviço:

– Junte bastante roupa suja antes de ligar a máquina ou usar o tanque. Não lave uma peça por vez. Caso use lavadora de roupa, procure utilizá-la cheia e ligá-la no máximo três vezes por semana;

– Se na sua casa as roupas são lavadas no tanque, deixe as roupas de molho e use a mesma água para esfregar e ensaboar. Use água nova apenas no enxágue. E aproveite esta última água para lavar o quintal ou a área de serviço;

–  No tanque, com a torneira aberta por 15 minutos, o gasto de água pode chegar a 279 litros. O melhor é deixar acumular roupa, colocar a água no tanque para ensaboar e manter a torneira fechada. E que tal aproveitar a água do enxágüe para lavar o quintal também?

4-) Jardim e piscina:

– Use um regador para molhar as plantas ao invés de utilizar a mangueira.
Ao molhar as plantas durante 10 minutos o consumo de água pode chegar a 186 litros. Para economizar, a rega durante o verão deve ser feita de manhãzinha ou à noite, o que reduz a perda por evaporação. No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã. Mangueira com esguicho-revólver também ajuda. Assim, pode-se chegar a uma econom ia de 96 litros por dia!

– Se você tem uma piscina de tamanho médio exposto ao sol e à ação do vento, você perde aproximadamente 3.785 litros de água por mês por evaporação, o suficiente para suprir as necessidades de água potável (para beber) de uma família de 4 pessoas por cerca de um ano e meio aproximadamente, considerando o consumo médio de 2 litros / habitante / dia. Com uma cobertura (encerado, material plástico), a perda é reduzida em 90%.

Fonte: Viva Mais Verde  

Cuide bem do seu amigo

O UNASP  também se preocupa com o ambiente em que vivemos. Por isso estamos lançando a campanha ecoUNASP que pretende conscientizar os nossos alunos sobre temas como preservação e cuidado da natureza. Se cada um fizer a sua parte podemos viver sim em um ambiente mais agradável, em que cada ser vivo desempenhe seu papel, e com respeito.

PetMixture-2770x1774

E hoje vamos falar um pouco sobre os cuidados com os animais de estimação.

Eles não são apenas bonitinhos e engraçadinhos, os animais são seres vivos, e como nós, precisam de cuidados especiais para que tenham uma vida saudável e feliz. Então antes de adotar um bichinho de estimação pondere bem. Só tenha um bichinho se você realmente puder cuidar e gastar tempo e dinheiro com ele. De nada vale levar um bichinho para casa se você não puder cuidar dele depois. Agora, se você já tem um pet em casa nós separamos algumas dicas que vão te ajudar a cuidar melhor do seu amiguinho.

Unasp e projetos sociais

Ao cuidar do seu animal de estimação toda a população também agradece. Vaciná-los previne doenças contagiosas, castrar evita o aumento populacional desses animais e além disso, cuidar do seu bichinho só trás alegrias. Os animais de estimação são grandes amigos e oferecem em troca muito amor e companheirismo. Então para o bem de todos nós cuide bem do seu amigo.

Gostou? Passe a ideia do EcoUnasp à diante!

Um grande abraço!

O desperdício de alimentos

O Brasil é o quarto produtor mundial de alimentos, produzindo 25,7% a mais do que necessita para alimentar sua população. Segundo dados da Embrapa,  26,3 milhões de toneladas de alimentos ao ano são jogados no lixo. Diariamente, desperdiçamos o equivalente a 39 mil toneladas por dia, quantidade esta suficiente para alimentar 19 milhões de brasileiros, com as três refeições básicas: café da manhã, almoço e jantar.

Segundo Instituto Akatu, os números elevados fazem do Brasil um dos campeões mundiais de desperdício. Analisando estes dados de uma forma mais simples, isso significa que uma casa brasileira desperdiça, em média, 20% dos alimentos que compra semanalmente, o que remete a uma perda de US$ 1 bilhão por ano, ou o suficiente para alimentar 500 mil famílias.

alimentos-desperdicio

Em outras palavras, é como se você comprasse e jogasse a comida direto no lixo, como nessa imagem. Impressionante, não é mesmo?

De acordo com Arnaldo Jardim, colunista do blog do Instituto Akatu, tudo está relacionado ao consumo exagerado que fazemos das coisas. Porque? Veja a explicação dele: “A impulsividade é uma das grandes inimigas do consumo consciente. Todo consumo causa impacto (positivo ou negativo) na economia, nas relações sociais, na natureza e em nós mesmos. O consumo consciente é a utilização de um produto ou um recurso de forma responsável, medindo as consequências de nossos atos sobre a qualidade de vida no planeta e na vida dos nossos descendentes. Quanto mais nossas atitudes de consumo puderem contribuir para impactos positivos, melhor”. 

Agora, veja um exemplo real de um restaurante de Minas Gerais que reduziu o desperdício de alimentos e seu lucro aumentou em 15%! Acompanha um pouco esse relato:

A empresária Arlene Moreira comanda um restaurante na capital mineira. Ela participa do programa “5 menos que são mais”, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Sebrae, desde o ano passado. O objetivo da iniciativa é reduzir as perdas de água, energia, resíduos, matéria-prima e recursos humanos nos negócios. Arlene viu de perto que quanto menos desperdício, maior é o lucro. A empresária deixou de jogar R$ 25 mil por ano no lixo. As contas de água e luz do restaurante diminuíram. Arlene instalou lâmpadas econômicas, pintou o teto de branco e o ambiente ficou mais claro. Os freezers e refrigeradores foram afastados das paredes, para diminuir o consumo de energia. A forma de lavar a louça também mudou após o acompanhamento do Sebrae. A empresária conseguiu reduzir em 50% os gastos com água e detergente através de ações bem simples, que qualquer um pode fazer, como a compra de um lava copos que custa, em média, R$ 15. Ela usa uma quantidade muito pequena de detergente e água sanitária e consegue lavar muitos copos durante o dia, isso resultou numa economia de R$ 1.200 anuais – ou 50% menos que o consumido anteriormente. Os pratos agora vão para um recipiente grande com água sanitária. Depois são lavados juntos para diminuir o tempo que a torneira fica aberta. Um borrifador mistura o detergente com a água e ajuda a diminuir a quantidade do produto de limpeza na esponja. Estas iniciativas também diminuem a quantidade de detergente que vai parar na rede de esgoto.

Você deve estar perguntando, mas e os alimentos?

the-raw-way-to-eat-more-vegetables

Sobre o desperdício de matéria-prima. Agora, a empresária compra produtos descascados, aproveita todo o alimento e economiza tempo. Cerca de 10 quilos de comida pronta eram jogados fora diariamente. O bufê oferecia seis tipos de carnes – boa parte não era consumida. Hoje o restaurante oferece três opções de melhor qualidade. Agora, panelas grandes, com bastante comida, só nos horários de pico. O restaurante identificou os períodos com maior movimento e acabou com os exageros. Atualmente, o tamanho das vasilhas diminui conforme cai o fluxo de clientes. Isso ajuda a manter os alimentos mais frescos no bufê e reduz desperdícios no fim do dia.

Bacana, não é mesmo?! Agora, com os lucros obtidos nessas economias, Arlene está investindo em outros negócios.

Mas, o que tem que ver restaurante comigo? Vou explicar: estamos querendo trabalhar na conscientização de cada um. Pessoas conscientes são consumidores conscientes. Vocês podem levar esse exemplo para suas casas, orientar seus pais a consumirem alimentos com consciência, evitando o desperdício. Quem sabe não sobra uma grana extra para fazer aquela viagem que vocês vem adiando por tanto tempo. =)

Fiquem ligados! Vem aí: UNASP ECO.

 

A importância da água, e nossa mania de não valorizar.

Resettling Sudanese Returnees

“Quando vai chover?”  A grande pergunta que não quer calar em boa parte do Brasil. Racionamento de água, falta de chuva e todos os transtornos causados em função da seca levantam um tema importante a Preservação e Cuidado desse bem tão precioso. Somente 1% da água do planeta é doce, 97% é salgada e os outros 2% formam geleiras. De acordo com a organização mundial, estima-se, que 70% da água consumida no mundo destina-se à produção de alimentos, cabendo 22% à indústria e apenas 8% ao consumo humano. A ONU estima que um bilhão de pessoas não possuem acesso mínimo diário para a sua subsistência. E isso parece tuim? Infelizmente a coisa tende a piorar no futuro: dois terços da população mundial terão acesso limitado à água em 2025. Já é possível sentir essas mudanças. Grandes capitais optaram pelo racionamento de água, cortes de consumo ou até mesmo multas para quem gastar além do necessário. A população precisa se conscientizar sobre a importância da água e começar a valorizar esse recurso tão precioso, mas também frágil.

10153108_617502251661558_34614458_n

64931_617502258328224_862313888_n

O UNASP campus São Paulo reconhece a importância deste bem e criou uma campanha oficial no campus, incentivando o consumo consciente de água.  Com a temática “Economize Água Antes que a Natureza Corte”, a campanha envolve alunos e funcionários de todos campus. A adesão à campanha é voluntária e o objetivo é que cada universitário e participante exerça influência na comunidade onde vive a fim de diminuir o desperdício de água. Com diversas ações sociais o campus pretende permanecer com o projeto durante todo o ano, incentivando assim, a conscientização da população. (Veja a matéria completa no nosso portal, clique aqui para ler).

1383304_617504984994618_427897741_n

Enquanto a chuva não vem é preciso analisar algumas pontos no consumo de água, seja no trabalho, casa e na comunidade em que em que você está inserido. O UNASP te dá algumas dicas que vão ajudar a colaborar com o nosso planeta. São pequenas ações, mas já colaboram bastante!

1-)  Banhos rápidos: Cerca de 95 a 180 litros de água limpa são desperdiçados em um banho demorado. Banhos rápidos economizam água e energia.

2-) Feche a torneira na hora de escovar os dentes: Se a torneira ficar aberta enquanto você escova os dentes, até 25 litros de água são gastos. Não custa nada fecha-la.

3-) Descarga: Quando você dá um único aperto na descarga 20 litros de água escorrem pelo ralo! Então, aperte apenas o tempo necessário.

4-) Abra a torneira só para enxaguar a louça: Você desperdiça 105 litros quando deixa a torneira aberta. Ensaboe primeiro, depois enxague, assim todo mundo fica mais feliz.

5-) Lavar o carro? Pense duas vezes: Homens de plantão! Lavar o carro gasta 560 litros de água em 30 minutos, é muita coisa! Pense bem antes de enfrentar a faxina do seu carro, e se realmente estiver precisando opte por um balde ao invés da mangueira.

6-) Deixa essa mangueira de lado: Ao lavar a calçada não utilize mangueira, prefira a velha e boa vassoura, assim você economiza 250 litros de água.

Essas são pequenas ações que podem melhorar seus cotidiano e ajudar o planeta. Pense duas vezes antes de gastar água, todo mundo agradece. Valorize esse bem tão precioso! Precisamos cuidar das dádivas que Deus concede, se cuidar não vai faltar.

 Imagens das ações no campus São Paulo: Devson Lisboa

Informações: 360 Graus / Portal UNASP / Revista Veja / ONU