Viajando sem dinheiro pela Europa

É possível viajar sem dinheiro? Se sua resposta for não, então você precisa conhecer a história da artista plástica Aline Campbell, de 24 anos.  A brasileira passou  três meses viajando pela Europa (entre Junho a Setembro deste ano), sem nenhum dinheiro no bolso. É difícil de acreditar, mas foi exatamente isso que aconteceu. Além das passagens do Rio até Amsterdam (Holanda) e de Zurique (Suíça) até o Rio, ela não gastou nada, absolutamente NADA. Nem cartão de crédito para eventuais emergências ela levou. Era a primeira vez que estava visitando esses lugares, e na maioria dos países ela não conhecia ninguém. Todo o percurso foi feito na ideia de conhecer novos lugares e compartilhar momentos com desconhecidos.

1240111_645867518771466_1656081493_n

Para se aventurar pela Europa Aline levou apenas uma pequena mochila, com sete peças de roupa, cinco camisas e dois shorts, e durante a viagem ela pegou 54 caronas e dormiu em 38 casas diferentes. Para se hospedar Aline usou o Couchsurfing que é um site que permite oferecer e buscar acomodação gratuita em qualquer parte do mundo em casa de pessoas que moram no lugar.

15970_645270425497842_385959339_nPegando carona para Luzern – Suíça

62466_645658788792339_180243239_nFondue com uma das famílias que ela ficou hospedada em Moosleerau – Suíça

1170854_633201600038058_1549699098_nDando um mergulho em uma das praias de águas cristalinas da Croácia

1151002_627044833987068_1703579685_nEm Paris – França

934685_625653740792844_330624068_nCom uma de suas caronas, indo para Freiburgo – Alemanha

O objetivo dessa viagem eram três: extrair a bondade das pessoas, mostrar ao mundo que seres humanos são generosos por natureza, e demonstrar que certas situações não são tão perigosas quanto pensamos. A viagem recebeu o nome de: Open Doors (Portas Abertas), e tem até uma página no Facebook, onde ela foi postando fotos e contando algumas histórias durante o percurso. Sem roteiro definido, Aline foi surpreendida várias vezes positivamente, como quando queria ir de Budapeste para Viena mas, foi convencida pelo motorista a ir até Eslováquia e ainda ganhou um ingresso para o Cirque du Soleil.

Claro que não precisamos ser tão radicais mas, é sempre bom conhecer histórias de pessoas que visitaram o mundo de forma diferente, e sem precisar gastar muito.

Aline pretende publicar seu diário de viagem mas, enquanto ele não sai, confira o vídeo no qual ela conta um pouco de como foi essa aventura.

“O que torna uma viagem inesquecível são as pessoas que conhecemos, não o hotel de luxo que nós hospedamos, ou os souvenirs que adquirimos. Até porque, no final das contas, tudo isso se perde. Eternas são as memórias, lembranças de bons momentos com pessoas”. – Aline Campbell.

 

Fotos: Acervo Pessoal/ Aline Campbell