Viaje de graça. É isso mesmo que você leu, sem gastar nada!

sea-sky-beach-holiday-large

Viajar o mundo sem gastar seu dinheirinho é viável? Sim, de acordo com a Revista Super Interessante, é possível rodar umas boas milhas sem colocar a mão no bolso. Mas fiquem avisados, não tem mamata. Confira as dicas:

1-) De barco

Cruze os mares no barco dos outros (pode ser iate, veleiro ou até cargueiro mesmo). Agências como Work at Sea (www.workatsea.com.br) e Sun& Sea (www.sunsea.com.br), por exemplo, tornam você um tripulante de cruzeiros. Viajem em troca do trabalho. Juntas, as duas oferecem 180 vagas por mês.

2-) De avião

Pegue carona em voos da Força Aérea Brasileira, como os que levam cartas da Aeronáutica. Basta pedir em uma base da FAB (lista em tinyurl.com/basesfab). A vaga surge, em média, em duas semanas – mas você será avisado na última hora e terá 30 minutos para chegar ao avião.

3-) Patrocinado

Você trabalha com uma atividade cultural? O Ministério da Cultura banca a passagem se você tiver cursos ou eventos no exterior ligados à sua profissão (veja em tinyurl.com/mincultura). O governo julga a relevância dos pedidos, por isso torça! E acerte-se com o fisco para poder se candidatar.

4-) Como Escritor

Guias de viagem como o site O Viajante (www.oviajante.com) contratam gente para visitar um país e escrever sobre ele. Há uma peneira – fluentes em dois idiomas passam à frente – e poucas vagas. Em um ano bom, o O Viajante mandou 6 pessoas para o exterior.

5-) De Carro

Esticar o polegar é uma tática velha, mas nem sempre segura. Pratique-a em locais como postos da polícia rodoviária. Ou recorra à internet: em sites como www.caroneiros.com e www.vaipraonde.com.br você acha motoristas dispostos a ajudar os necessitados de transporte.

6-) Com Milhas

Lei da oferta e demanda: em voos muito procurados, há menos lugares para donos de milhas. Dê um empurrão à sorte e garanta um lugar com 6 meses de antecedência. Há milhas mais certeiras: as de ônibus. Em companhias como Itapemirim, não há limite de assentos.

via: Super Interessante